07 de Outubro, 2020

​Vereadores cobram melhorias no atendimento da Energisa

Representantes do Legislativo, da concessionária e do Executivo estiveram reunidos nesta quarta-feira (7/10)para tratar das recentes quedas de energia no município

A Comissão de Finanças, Orçamento, Obras, Serviços Públicos e Desenvolvimento Urbano recebeu, na manhã de quarta-feira (7/10), representantes do Executivo e da concessionária Energisa para tratar das recentes reclamações que tem ocorrido em relação às quedas de energia em bairros da zona rural e urbana, dificuldades na comunicação com o serviço de atendimento e na ampliação da rede elétrica nas áreas rurais. Marcos Leopoldo Tasca, secretário municipal de Governo, Desenvolvimento Econômico e Inovação e presidente do Conselho de Consumidores da Energisa Sul/Sudeste, representou o Executivo. Luís Felipe Cazeiro Garcia, gestor de clientes, e Dalessandro Luís Mafei, gerente regional, representaram a Energisa. Além dos membros da Comissão, mais vereadores participaram dos debates.

Questionados sobre as interrupções de energia, os representantes da Energisa justificaram. “Temos conhecimento dos problemas que impactaram Bragança. Sabemos que essas manifestações da população chegam até vocês. Tivemos desligamentos que afetaram a cidade de maneira geral e outros que impactaram parte das unidades consumidoras”, afirmou.

Mafei relatou questões pontuais que causaram grande impacto na cidade, como a instalação de uma subestação móvel que provocou desligamento que afetou mais de 50 mil unidades consumidoras, em julho. “Sabemos que é um transtorno grande, que a população acaba sendo atingida”, disse. Em setembro outras duas interrupções inesperadas causaram grande impacto no número de consumidores afetados. Em uma delas um pássaro foi o causador, ao fechar curto no barramento e, em outra um incêndio desligou uma das linhas. “Foram desligamentos que fugiram ao controle dos funcionários”, justificou o gerente. Outro desligamento grande, em 25 de setembro, ocorreu pela troca de equipamentos na subestação que atende o município.

Os representantes da concessionária destacaram investimentos que tem feito em Bragança Paulista, chegando a mais de R$ 2 milhões nas melhorias da subestação. Mesmo com as informações, os vereadores criticaram a postura da empresa em relação ao atendimento aos clientes.

Os representantes do Legislativo pontuaram problemas do Portal São Marcelo e moradores do entorno da Rodovia Benevenuto Moretto, dificuldades para ligação de novos pontos de energia para bairros da zona rural, problemas na Santa Luzia e Campo Novo e Chácaras Fernão Dias. Os vereadores explicaram que não tem ocorrido apenas interrupções de energia sem aviso prévio, mas piques e oscilações, o que tem causado queima de eletrodomésticos entre outras avarias. A falta de comunicação foi o ponto chave questionado por todos.

Em relação à ligação de novos pontos de energia na zona rural, foi explicado aos vereadores que há um pedido do Ministério Público para que seja verificado se o local indicado não se trata de APP (Área de Preservação Permanente). A medida tem tornado as novas ligações mais burocráticas. A Energisa tem mantido contato com o Ministério Público e o Executivo para tratar dos casos.

Marcos Tasca, como representante do Executivo e também do Conselho da Energisa, falou da reivindicação sobre a falta de comunicação. “A Prefeitura está preocupada com o grade número de representações que apareceram ultimamente. Estamos acompanhando o trabalho da Energisa, mas precisamos de explicações. Vocês precisam aumentar os canais de comunicação e trazer esclarecimentos para população. Não basta encaminhar uma nota. Não pode demorar. Temos meios de comunicação ágeis. Os mecanismos de comunicação de vocês precisam ser melhorados. Novamente vou levar isso ao conselho. Não basta apenas o call center, eles nem sempre tem as informações que precisamos”, disse.

Os vereadores reiteraram que o call center normalmente atende em outros estados, o que dificulta ainda mais a comunicação direta. “Temos feito um investimento em Bragança muito grande. Tivemos percalços aqui, mas estamos atuando para que não voltem a ocorrer desligamentos inesperados. Todos os pontos apresentados pelos senhores serão tratados. Nossa agência permaneceu fechada por conta da pandemia, mas está aberta novamente, também para melhor atender a população. Nos colocamos a disposição dos vereadores. Temos contato frequente com muitos, mas ficamos a disposição da Casa. Agradecemos as manifestações e vamos procurar melhorar”, concluiu Mafei.

Lei Orçamentária Anual 2021

Além da participação dos representantes da Energisa, a Comissão recebeu e designou a relatoria do projeto de lei 41/20, do Executivo, que trata da LOA 2021 (Lei Orçamentária Anual). Sidiney Guedes será o relator da matéria.

A Casa já recebeu audiência pública do Executivo para tratar do projeto e, agora, promove outras duas audiências virtuais em nome do Legislativo. A 1ª audiência ocorre nesta quinta-feira (8/10), a partir das 10h. A Comissão de Finanças realiza na semana seguinte, na quarta-feira (14/10), às 9h, a 2ª audiência. Os interessados podem acompanhar os debates e enviar dúvidas e sugestões pelas redes sociais do Legislativo.

Rita Leme foi designada relatora da moção 51/20, de autoria do vereador Antônio Bugalu. A matéria requer estudos visando à implantação de academia ao ar livre e de miniciles com parque infantil na Praça da Penha. Rita emitiu seu parecer pela aprovação de imediato, sendo acompanhada pelos demais membros da Comissão.

A Comissão volta a se reunir na quarta-feira (14/10), às 9h. As atividades serão realizadas virtualmente, podendo ser acompanhadas pela internet no site www.camarabp.sp.gov.br, Youtube (www.youtube.com/camarabraganca) e Facebook (www.facebook.com/camarabragancapaulista/).

a gente guarda estatísticas de visitas para melhorar sua experiência de navegação, saiba mais em nossa política de privacidade.

Entendi!