​Marcolino pede providências para caso de perturbação de sossego público
31 de Julho, 2020
Vereador citou casos de comércios localizados em áreas residenciais

Na sessão desta terça-feira (28/7), o vereador Marco Antonio Marcolino tratou de casos de perturbação de sossego público causados por grandes atacadistas que tem suas sedes instaladas em bairros residenciais. Procurado por munícipes, Marcolino pediu que o Executivo encontre uma forma para lidar com o problema.

“É uma constância em nossa cidade a questão da perturbação de sossego público de quem reside perto das grandes empresas e atacadistas que recebem mercadorias fora do horário comercial. Isso gera a falta de tranquilidade dos moradores. No Jardim Águas Claras faz anos que tentamos resolver o problema”, iniciou.

“Bragança tem problemas sérios de convivência nesse sentido. Estes comércios se instalam no meio de núcleos populosos. O comércio depende do fornecimento das mercadorias, mas acaba causando problemas aos moradores”, disse.

Visando auxiliar o Executivo, Marcolino afirmou que tem estudado na legislação uma alternativa para minimizar. “Na sessão de hoje, por enquanto, encaminho solicitação para que a Secretaria Municipal de Meio Ambiente faça fiscalização mais acentuada nessas atividades, em que pese os estabelecimentos comerciais não são os responsáveis pelo barulho, mas são os receptores da mercadoria. Precisaria ter bom senso para otimizar isso”, afirmou.

Marcolino citou ainda problema semelhante que ocorre no bairro Lavapés. “Recebi um vídeo em que às quatro horas da manhã as pessoas não conseguiam dormir na Rua Monteiro Lobato, pelo barulho de caixas sendo arrastadas, pessoas falando alto. Os moradores tem direito à tranquilidade, infelizmente isso não vem ocorrendo. Peço para que o secretário de Meio Ambiente tente achar um meio termo em relação a isso. Sabemos que os caminhões frigoríficos precisam ficar ligados, mas seria bom ter um horário mais adequado, não de madrugada. Peço para Prefeitura intervir nessa situação, fazer fiscalização”, encerrou.